Carregando...
 

Fazendo uma Bicicletada


Se não há uma Bicicletada na sua cidade, você pode começar uma.

Aqui vão algumas dicas.

1. Defina o ponto de encontro, a data e o horário
É importante que a passeata ciclística saia sempre do mesmo lugar, sempre no mesmo dia do mês e horário. Isso facilita muito a propaganda e evita confusões. É uma boa idéia tentar escolher um lugar central da cidade, levando em conta o espaço disponível para a concentração dos ciclistas. Cinco ciclistas não ocupam muito espaço, mas 100, 300, 500...

Os passeios de Massa Crítica ao redor do mundo acontecem sempre na última sexta-feira do mês, às 17 horas. A intenção é pegar o pior horário de congestionamento do trânsito e assim conseguir visibilidade por parte dos motoristas. Também funciona como uma forma de questionamento do uso dos carros como meio de transporte.

2. Divulgue o movimento
Faça panfletos, cartazes, adesivos e cole em locais estratégicos. Colocar panfletos em bicicletas estacionadas também é bastante eficiente.

Lembre-se de que você não está promovendo um mero passeio ciclístico, mas um movimento de questionamento e mudança cultural. É preciso que seu material de divulgação deixe isso claro. Na seção "Propaganda" você encontra o material de divulgação que está sendo usado nas Bicicletadas do Brasil. Esse material é de uso livre e pode ser editado para a sua cidade.

3. Faça
Não espere que seu primeiro passeio seja um grande sucesso e tenha um grande impacto, nem que participem centenas de pessoas logo da primeira vez. Isso dificilmente vai acontecer. Comece. Nem que seja somente você e mais outra pessoa, comece. O que conta não é o número, é o empenho. A melhor estratégia é marcar logo o dia e local e sair procurando gente.

Nos próprios passeios você pode fazer a divulgação, distribuindo panfletos para motoristas, ciclistas e pedestres que encontrar pelo caminho.

4. Estabeleça um meio de comunicação
Se possível, é interessante criar uma forma de os participantes discutirem, trocarem idéias sobre protestos e formas de ação direta, darem idéias sobre o percurso que pode ser feito etc. Você pode criar para isso listas de discussão na Internet

Um sítio na Internet é uma forma interessante de reunir dados sobre sua cidade e divulgar sua manifestação. O sítio da Bicicletada pode abrigar a página da sua cidade.

Mesmo que não seja possível o acesso à Internet, é muito importante criar formas de discussão entre o grupo, como reuniões periódicas. O contato pessoal é uma parte importante do questionamento do modo de vida urbano dentro dos carros, que isola as pessoas.

5. Crie formas criativas de ação
Invente formas criativas de incentivo ao uso da bicicleta e de luta por melhores condições de circulação.

Algumas idéias: faça panfletos para distribuir aos motoristas, pedestres e mesmo aos demais participantes do passeio. Faça camisetas com alguma mensagem. Use máscaras como um protesto contra a poluição. Faça faixas para serem abertas na frente dos carros no sinal fechado, enquanto são distribuídos panfletos para os motoristas. Leve bandeirolas na bicicleta com mensagens para os motoristas e pedestres.

6. O que NÃO fazer
As Bicicletadas não têm donos, líderes ou guias. Trata-se de um movimento horizontal. A orientação geral do passeio é de que ninguém pode ditar regras. O grupo deve discutir e chegar a conclusões com que todos concordem e agir com base nelas. O parâmetro que norteia as decisões deve ser os interesses do movimento (consulte a seção "Objetivos e princípios"), e não convicções e ideologias pessoais.

NÃO peça uma autorização às autoridades locais. Os ciclistas e demais usuários de transportes não-motorizados têm o direito de ocupar seu espaço na via pública. A Bicicletada é ativismo pelo incentivo e melhores condições de circulação para a bicicleta, e não um passeio.
A Bicicletada não é patrocinada por nenhum tipo de entidade. Não pode ser usada como meio de propaganda comercial, não importa a finalidade. Todos os recursos necessários são conseguidos pela união dos ativistas participantes.

Os ciclistas NÃO devem ficar encolhidos no canto da via. Ocupem no mínimo uma faixa. Lembrem-se de que o Código de Trânsito Brasileiro dá esse direito em todos os lugares onde não houver ciclovia. Dependendo do número de pessoas, pode ser necessário ou interessante ocupar mais faixas. O número de faixas que será ocupado é algo que pode ser interessante discutir antes do passeio, mas lembre-se de deixar pelo menos uma faixa livre para a passagem dos veículos: interromper o tráfego dos motoristas só trará antipatia para com o movimento.

7. A atitude em relação às leis de trânsito
De acordo com a lei de trânsito brasileira, o ciclista é obrigado a colocar refletores dianteiros, traseiros e dos lados da bicicleta, ter uma campainha ou aviso sonoro e ter um espelho retrovisor.

Os refletores são interessantes se você for pedalar à noite ou em condições de pouca visibilidade.

Porém a experiência nos diz que muito melhor que uma campainha é um grito e que o retrovisor não substitui uma olhada rápida para trás em muitas situações.

Mesmo não havendo regras impostas na Bicicletada, isso não significa que a passeata seja caótica ou agressiva. Pelo contrário, realizar um protesto seguro, organizado e simpático, além de assegurar sua eficiência, é demonstração de maturidade e responsabilidade, que é o ponto de partida para um trânsito mais humano.

É preciso, portanto, discutir com o grupo o respeito às leis de trânsito.

De modo geral, ao contrário do que pode ocorrer em situações do dia a dia, na Bicicletada não é preciso infringir nenhuma regra de trânsito para garantir a segurança dos ciclistas. O grupo pode parar em sinais vermelhos, antes da faixa, evitar trafegar na calçada e entre os carros - essas atitudes tendem a criar uma imagem responsável do movimento e angariar a simpatia e o apoio de motoristas e pedestres. Quanto mais o grupo se manter coeso, mais eficiente e seguro torna-se a locomoção.

Procure divulgar esses conceitos. A única exceção se dá quando o grupo está atravessando um cruzamento e o sinal fecha. Nesse caso, é comum alguns ciclistas segurarem o trânsito até que o grupo todo atravesse, o que é chamado de "corking" ou contenção. Essa é uma medida que evita que o grupo se fragmente. Para que isso ocorra sem problemas, os ciclistas que seguram o trânsito podem portar cartazes explicando o motivo da passeata e agradecendo a espera.

Os ciclistas que realizam a contenção podem aproveitar essa pausa para explicar aos motoristas que segundo o artigo 213 do CTB, o motorista não pode interromper o agrupamento de veículos, portanto é direito dos ciclistas realizar esse bloqueio. Principalmente se seguirmos a diretriz imposta no artigo 29 do CTB, onde o veículo maior deve sempre zelar pela segurança do veículo menor.

Incentive também a cordialidade com os motoristas e a responsabilidade de todos os participantes pela condução da passeata.

Veja também:

O que é, Princípios, Como participar


Contribuíram para esta página: bess , rodrigo , pangare e badbass55 .
Última modificação da página em Domingo 03 de Fevereiro, 2013 10:39:56 BRST por bess.